Carros originais – Gol/Parati Turbo 1.0 16v


Boa tarde,

Irei postar um tópico que irá tratar sobre o motor turbo do Gol e da Parati, tenho um amigo que teve uma Parati turbo (acabou mechendo nela um pouco para dar mais folego no motor) e disse que a experiência é fantástica em guiar um carro turbinado.

O turbocompressor que equipa o motor Volkswagen 1.0 16V Turbo é o GT12, da Allied Signal. Leve e compacto, oferece resposta rápida quando o motorista aciona o acelerador. As dimensões reduzidas permitem uma baixa inércia das peças móveis , favorecendo o torque em todas as faixas de utilização e diminuindo o retardo, conhecido como Turbo Lag.

O Turbo, é formado por duas câmaras metálicas com aspecto de caracol: uma ligada ao escapamento e a outra ao sistema de alimentação do motor. Dentro das câmaras, unidas por um eixo, estão, de um lado, uma turbina e, do outro, um compressor. Os gases do escapamento fazem a turbina girar, o eixo transfere o movimento para o compressor que aspira o ar da atmosfera através do filtro de ar e o empurra para dentro do motor.

O motor turbo tem 112cv porém quando bem trabalhados podem chegar facilmente a 120 ~ 150cv sem quebra. Um bom preparador saberá o que fazer exatamente.

Os modelos equipados com o motor 16v Turbo, receberam uma caracterização sóbria tornando-os mais atraentes, chamam a atenção pela máscara negra dos faróis, vidros verdes mais escuros, pára-brisa degradé, pára-choques e espelhos externos pintados na cor do veículo e faróis de neblina.

Comparado ao aspirado, o pára-choque dianteiro possui uma segunda entrada de ar na parte inferior; as rodas de liga leve são aro 14″ com pneus perfil 60. Na traseira, destaque para a antena no teto, o brake light e a ponteira do escapamento de formato oval e acabamento esmaltado. A identificação “16V Turbo” aparece nos pára-lamas dianteiros e na tampa traseira e o aerofólio é de série.

Os 112 cavalos surgem também em forma progressiva por contar o motor EA111 com um sistema de comando variável, que adianta o tempo das válvulas para favorecer comportamento em baixas rotações, onde se passa a maior parte da vida real. Assim o motorzinho tem uma disposição invejável para acelerar em qualquer situação de transito normal, quase parecendo um dois litros, e ao mesmo tempo tem um torque intenso, já que o turbo acelera e fornece impulso em rotações mais baixas que aquelas onde um dois litros é forte. Ou seja, este é um motor que pensa que é um dois litros, mas que às vezes se comporta como um mil, principalmente quando o consumo for importante. Cabe aqui uma ressalva quanto à manutenção deste motor tão potente: como em qualquer máquina esforçada aos limites máximos de sua resistência, é preciso ter certos cuidados com sua sobrevivência, como deixa-lo esquentar parado, não importando o que a fabrica diz, bem como trocar freqüentemente o lubrificante e usar o melhor óleo possível, de preferência sintético. É preciso lembrar a potencia alta derivada de uma cilindrada reduzida.


Os resultados são impressionantes: zero a cem por hora em 9,5 segundos, 195 de final e retomadas inacreditáveis. Reacelerar de velocidades baixas é um prazer, desde que haja um pouco de rotação, acima de 1.500 rpm. É nessa velocidade que o turbo “acorda” e tudo acontece. Abaixo disso é meio fraco, como seria de esperar, mas nada que prejudique a imagem do carro, mesmo porque é preciso ter em mente que ele é um 1.000 cc que ruge. Mas para rugir tem que girar um pouquinho.

Ficha Técnica
Potência: 112cv
Torque: 15,8kgm
Aceleração 0-100km/h: 9,6s
Velocidade Máxima: 192km/h

Obrigado