Roda de ferro aro 16″?


Boa tarde,

Depois do incidente na rodovia próximo a cidade de Presidente Prudente, hoje, finalmente consegui tempo para montar um estepe que eu possa utilizar em todas as situações.

Como eu ainda tenho um projeto de substituir os tambores traseiros por discos frisados de 284mm as rodas aro 13″ que equipam o estepe do Cerberus não poderiam ser mais utilizadas com segurança.

No vídeo que eu postei no youtube durante a ocorrência eu havia observado somente um pequeno furo no pneu, com bastante calma em casa eu vi que se tratava de um rasgo bem maior – como pode ser observado na foto acima.

Um tremendo desperdício, porque o pneu havia completado 10mil km rodados, praticamente novo, levando em consideração que um pneu pode ter sua vida útil condenada aos 60mil ~ 80mil km (ou 4 ~ 5 anos). Este da foto acima foi comprado em 2010 e no mesmo ano já foi aposentado.

Fui atrás de um estepe novo, procurei pela roda de liga leve do Astra 2010 em vários lugares, o preço médio para uma roda (reposição) sairia algo em torno de R$ 450,00 e R$ 550,00, fiz orçamento em diversas lojas (inclusive na GM),  a resposta mais comum é que este modelo de roda é exclusivo para venda em autorizadas GM e normalmente quem oferece são rodas usadas, reformadas ou adquiridas em alguma condição especial. ” – Ninguém vende somente uma 1 roda deste modelo, é mais fácil comprar o jogo completo” – foi a resposta que eu ouvi em pelo menos 4 lojas da grande São Paulo.

Devido a dificuldade e o alto custo de aquisição, decidi procurar por rodas de ferro. Pensei comigo que seria mais fácil encontrar, porque atualmente diversas montadoras estão equipando os seus carros com rodas aro 16 e o estepe (ainda) não são de rodas de liga leve (levando em consideração os carros nacionais).

Para a minha sorte encontrei um desmanche que estava com 1 roda de ferro original do Renault Megane, foi a única que eu vi em toda S. Paulo e ainda pesquisei por sites de e-commerce onde normalmente as pessoas falam que tem mas nunca tem.

O preço era bem salgado para uma roda de ferro, me custou R$ 170,00 + 20,00 (negociado) do frete. Comprei confiando no vendedor que a furação seria a mesma, liguei para uma concessionária da Renault e o vendedor me disse que esta roda não existe para venda, somente por ocasião (oportunidade), depois de ouvir isso, não pensei 2 vezes, fechei negócio.

Comprei a roda, chegando em casa, levei 2 semanas para conseguir tempo para levar para montar.

Pedi para calibrar com 40 libras, porque não quero ter o trabalho de ficar tirando o som do carro e ficar calibrando toda vez. Para a minha sorte, havia um Corsa Classic na borracharia trocando o pneu dianteiro, pedi autorização para o dono e pedi para o borracheiro certificar que a roda do Megane serviria 100% no Corsa – A furação 4 x 100 ficou perfeita, como se fosse original do Corsa.

Tirei uma foto lado a lado para vocês observarem que a roda de ferro do Megane serve 100% no Corsa sem adaptações ou algo parecido.

Obrigado pela visita e fica a dica para quem procura pela roda de ferro aro 16″ para os carros da GM.

 

Abraços

Insulfilm x Segurança


Boa noite,

Ultimamente eu tenho observado uma crescente queda na utilização do insulfilm automotivo em carros equipados, seja com Roda, Xenon ou DVD. Outro dia eu vi um Voyage 2010, branco com rodas 19″ com black chrome, muito bonito por sinal, sem nenhum insulfilm o carro ficou um show a parte, vi este carro em Presidente Prudente, provavelmente pelo índice de assaltos, roubos e furtos serem bem menores do que da capital paulista, não existe qualquer problema em andar com um carro equipado com vidros verdes (originais da linha).

A questão divide opiniões, uma vez que existem pessoas que abominam o insulfilm pelo simples fato dele esconder o motorista ou quando mal instalado (ou velho) fica com uma coloração roxa.

Normalmente o insulfilm envelhece o carro, quando vemos um carro sem qualquer película a impressão que temos é de um carro limpo e bastante conservado.

Navegando pela internet é possível ver diversos exemplos de carros equipados com e sem a película protetora.

O Celta rebaixado com rodas sem insulfilm dá um aspecto de carro bem tratado.

 

Enquanto o Celta da foto acima, menos rebaixado do que da foto anterior, porém com o insulfilm instalado, não me chama tanto a atenção quanto ao Celta da primeira foto.

Viajar sem insulfilm é impraticável, eu não faço e não faria tão cedo. Além de proteção para os olhos e para o próprio corpo, o insulfilm automotivo protege o motorista contra eventuais “trombadinhas” de farol.

Me falaram uma vez que “Bandido só rouba o que ele vê”, eu sou a favor do G5 nas laterais, esconde todos os detalhes do vidro, dá um ar bem mais agressivo ao carro e protege o motorista e os ocupantes do carro contra o sol.

Lembrando que na primeira foto deste post tem os limites permitidos por lei na utilização do insulfilm.

Obrigado