Experiências – New Fit 2011 – 1.4 16v


Boa noite,

A alguns meses eu estava para dar andamento na categoria experiências, normalmente eu costumo escrever sobre os carros que passaram na minha mão seja para passear, viajar ou simplesmente dar uma volta de conhecimento.

Normalmente eu escrevo aqui os carros que eu dirigi por mais de 4 horas, muito melhor do que um test drive, o meu teste possui um olhar mais crítico, principalmente porque eu não tenho preferências,

não costumo comparar carros, na minha opinião, cada carro possui uma característica unica, embora na grande maioria dos testes é inevitável não ter um pequeno comparativo.

Hoje pretendo descrever para você caro leitor, a minha pequena viagem para o interior de SP a bordo de um New Fit 2011 LX, a motorização do carro é o 1.4 16v. Antes de entrar nos detalhes do carro, vamos conhecer um pouco sobre a linha New Fit, o carro pode ser encontrado em 5 versões, passando pelas mais acessíveis até a mais top de linha automática com motor 1.5 16v.

Logo de cara, ao entrar no carro você encontrará o nome FIT nas soleiras do carro, iluminado por um azul muito bonito, praticamente um cartão de boas vindas do carro, quando você entra no carro, se depara com um painel de coloração alaranjada que pouco incomoda a vista e ao acender os faróis a iluminação do painel ficará um pouco mais fraca – isso poderá ser alterado no próprio painel. Cheio de porta objetos o New Fit agrada seus integrantes. Versátil no trânsito e na estrada é um carro feito na medida.

O site da Honda está bem atualizado, com informações diretas sobre as 5 versões do carro.

http://www.honda.com.br/automoveis/Paginas/new-fit.aspx

Vamos aos detalhes, carro praticamente novo, o cheiro de novo ainda permanece em seus bancos e por todo carro. Debaixo do capô encontra-se o motor bem acomodado, justo para o espaço que nele se encontra. Posição de guiar é muito boa, o parabrisa longe do motorista – assim como no New Beatle.

Sempre abastecido no etanol o carro rende 101cv de potência (100cv na gasolina), ligeiro na cidade, este item não pode passar despercebido, principalmente porque eu estava sozinho no carro, teste de potência seria o carro com no mínimo 4 adultos no carro e o porta malas com alguma bagagem.

Sozinho o carro se comporta bem, o acelerador responde bem aos comandos do pé e o câmbio possui engates curtos e precisos, adorei o câmbio do carro é suave, as marchas são trocadas sem muito esforço.

O espaço interno do carro acomoda bem o motorista, o carro é cheio de porta trecos, existem 2 porta garrafas na frente das saídas de ar condicionado que tem o objetivo de manter água ou a bebida sempre fria – acreditem ou não isso faz falta na maioria dos carros.

O rádio é simples, mas funciona muito bem, quem busca economia e quer um carro bom fique com a versão DX e coloque o rádio de sua preferência na concessionária.

Na estrada o carro demonstrou ser bastante ágil, eu ficava me perguntando como seria dirigir a versão 1.5, porque a 1.4 anda muito bem, as 16v fazem muita diferença no carro, comparando com a versão antiga do carro o 1.4 8v não tinha um desempenho tão bom quanto este na estrada. O carro é confortável, bonito e o melhor de tudo… completo.

Equipado com 2 air bags, rodas de liga leve, vidro elétrico (4 portas), ar condicionado e direção elétrica, fazem parte do pacote de itens de série do carro. A direção elétrica é muito mais suave do que a hidráulica e ainda de brinde você não perde potência em ter ela instalada no seu carro.

Motor i-VTEC Flex: potente e eficiente

O motor i-VTEC Flex (Controle Eletrônico Variável de Sincronização e Abertura de Válvulas) está aplicado em todas as versões. A tecnologia varia tanto o tempo quanto a profundidade de abertura das válvulas para máxima eficiência em diferentes regimes de marcha.

Foi o primeiro modelo da categoria a disponibilizar transmissão automática de cinco velocidades –todas as versões também possuem transmissão manual de cinco velocidades. A presença de cinco marchas possibilita oferecer um melhor escalonamento, aproveitando ainda mais o rendimento do motor em diversas faixas de rotação e carga.

E mais: o New Fit possui o sistema eletrônico de aceleração DBW (Drive-By-Wire), que proporciona melhor dirigibilidade, uma vez que permite que a potência máxima e o torque sejam atingidos em sua plenitude. O modelo mantém a injeção de combustível multiponto programada PGM-FI (Programmed Fuel Injection). Outro detalhe é Paddle-Shift, sistema que permite trocas de marcha manuais com o acionamento de alavancas localizadas no volante, aplicado na versão 1.5 EXL.

Comparando com a versão anterior todas as dimensões evoluíram. A distância entre eixos passou dos 2.450 mm para 2.500 mm. Como benefício, maior espaço no habitáculo. O comprimento aumentou 70 mm (de 3.830 mm para 3.900 mm), assim como sua largura, que passa a contar com 1.695 mm, 20 mm a mais que a geração anterior.

É um carro novo, merece ter New no nome.

Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.