Dicas de Manutenção::: Cuidados com a Mecânica


Boa noite,

Vou postar uma série de tópicos sobre dicas de manutenções, costumo sempre publicar algo a respeito, mas cada vez que eu pesquiso mais conhecimento eu adquiro e por sua vez, mais conteúdo eu irei publicar neste blog. Espero que gostem do tópico abaixo.

Boa leitura!

– Revisões feitas sempre em tempo oportuno, ou seja, de 5.000 em 5.000 Kms, ou de 10.000 em 10.000 Kms, consoante o tipo de óleo, não esquecendo os filtros de ar, gasolina e óleo e troca de velas. De preferência deve optar-se por óleos sintéticos ou semi-sintéticos, uma vez que o mineral não protege o motor tão bem das baixas e das altas temperaturas. Os óleos sintéticos são quimicamente mais estáveis e resistem melhor à variação “frio – quente”. Eles são produzidos artificialmente, destacando-se a pouca tendência de coqueificação em temperaturas altas e o baixo ponto de solidificação em baixas temperaturas. São ainda resistentes a influências químicas. Hoje em dia encontram-se, por vezes, grandes quilometragens em algumas viaturas, dada a evolução que os óleos registaram nos últimos anos. Claro que um utilizador cuidadoso, que faça as revisões a tempo e horas e use um óleo sintético, tem a possibilidade de proteger a vida do seu motor. Um semi-sintético 10W40 será, por ventura, um dos produtos mais equilibrados que se pode usar. Em carros que façam viagens diárias muito curtas ou que circulem em ambientes húmidos ou poeirentos, é aconselhável mudar o óleo mais cedo, devido à humidade que se aloja neste, bem como o filtro de ar, devido às impurezas que se acumulam. O mesmo se aplica à utilização intensa em auto-estrada a alta velocidade, nomeadamente a troca prematura de velas e filtro de ar.
– Verificar com alguma frequência os níveis de óleo do motor e dos travões, bem como o nível de líquido do radiador (50% água destilada e 50% de anticongelante, ou em alternativa anticongelante puro) – que deve ser mudado de vez em quando, devido ao calcário acumulado – e reservatório do limpa – vidros;
– Verificar também o estado das correias do alternador e da distribuição;
– Em carros mais velhos é essencial colocar um produto de limpeza no depósito de combustível, de modo a limpar as vias de admissão. O “Slick 50” é outro produto que minimiza o consumo de óleo, o ruído e as folgas em motores já bastante rodados;
– Para estimar não se deve passar a marca das 3.000 / 3.500 rpm em cada mudança;
– Cuidados com o arranque a frio e com a imobilização dos propulsores: esperar pelo menos um minuto antes de arrancar e não atingir rotações altas. Não se deve desligar logo de seguida o motor, após algumas horas de utilização (cuidados redobrados nas versões turbo-diesel);
– Ao por a trabalhar, carregar no pedal da embraiagem para evitar mais esforço por parte do motor de arranque;
– Para colocar o carro em funcionamento, deverá ter-se ainda em conta o seguinte: rodar meia chave até as luzes do painel de instrumentos estarem completamente apagadas (injecção, óleo, airbags, etc.) e só depois por a trabalhar;
– Evitar o recurso constante à embraiagem e ao travão, bem como aceleradelas desnecessárias e “prego no fundo”;
– Realizar a manutenção programada no manual de instruções do carro.

Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.