Experiências – Fiat Linea (Continuação)


Boa tarde

Voltando a avaliação e a experiência em guiar o Fiat Linea, com o novo motor eTorq. Na minha opinião o público alvo do carro são os iniciantes na categoria Sedan Médio, para quem busca um carro grande com boa motorização e não se preocupa com status e mecânica robusta. O Linea entra

Após rodar aproximados 1200km de estrada, o carro demonstrou ser uma boa opção de compra para quem não se preocupa com desvalorização do automóvel. O carro é econômico e potente, tem boa retomada e o câmbio manual de 5 marchas atende as expectativas, com relações longas que permite menos trocas de marchas no trânsito caótico de SP.

O torque do motor é algo que precisa ser comentado, grandes ladeiras são são um problema para o grande e pesado Linea, com 1300kg (peso seco), comparando com os concorrentes o New Civic pesa 1260, Civic 2012 (novo) 1286kg  e o Corolla pesa 1245kg.

O acabamento interno com alguns apliques cromados podem se tornar um problema ao longo do tempo, o carro utilizado para escrever este artigo era um exemplar 2011 com 27mil km, e percebi que alguns detalhes como o cromado ao lado do motorista estava simplesmente se desprendendo do carro. O descascado poderia ser causado por mal uso, porém um carro de quase 60mil ter estes detalhes se depreciando em menos de 1 ano é complicado…

O carro possui muita vida a bordo, além dos detalhes cromados, o volante possui boa pegada e acabamento em couro, na versão LX (entrada) o volante não possui os controles de áudio, porém para compensar essa economia porca, a Fiat deixou o popular computador de bordo (presente em quase todo o lineup da marca) como presente para quem não quer gastar muito com a versão Top.

Falando em computador de bordo… sim sr. este é o sr. computador de bordo, com tantas funções que eu não saberia numerar qual é a mais importante (e legal).

  • Distância percorrida
  • KM Média
  • Velocidade Média
  • Consumo Instantâneo
  • Rádio
  • Controle de Velocidade

Pega todos os itens de distância e velocidade e multiplica por 2x porque possui as medições para Trip A e Trip B.

Os ocupantes do banco de trás do carro também não tem do que reclamar, o espaço para os passageiros é generoso, embora o ar condicionado não seja Dual Zone, o carro oferece amplo espaço interno para que não se tenha reclamações de aperto.

Os concorrentes diretos do Linea são: Ford Focus, Toyota Corolla, Honda Civic e o Chevrolet Cruze (substituto do finado Vectra), todos eles estão em uma faixa de preço bem próxima – todos na faixa entre 60 e 70mil Dilmas, a versão que eu dirigi a LX foi substituída esse ano pela Essence, que possui como diferença o freio ABS e rodas aro 15″ de série.

Os freios na versão LX são fracos, como o carro não possui ABS torna a condição de dirigir o carro em alta velocidade um tanto insegura, em alguns momentos da direção “estiquei” um pouco, porém ao diminuir a velocidade do carro, senti que os freios em ABS para um carro deste porte fazem muita falta.

 

Outro detalhe é a ausência de uma porta USB no rádio e controles do rádio no volante, são pequenos “mimos” que dão mais conforto em guiar o carro, quem tem ou teve um carro com controle de áudio no volante e escuta muita música, sabe da facilidade.

O Linea possui 4,5m de comprimento, praticamente 1 metro a mais do que o Logan, Classic e outros sedans pequenos, este 1 metro para quem não está acostumado poderá dar as famosas encostadas em paredes, outros carros e no pior caso em muretas de concreto, o Linea bem que poderia vir de série com o sensor de estacionamento, é barato e com certeza tornará a manobra do carro mais fácil e com com certeza mais segura.

Um detalhe que eu senti falta ao dirigir o Linea é que eu achei muito estranho um carro deste porte não ter um espaço para guardar uma garrafa d’água, infelizmente até o Chevrolet Prisma tem mais porta-trecos espalhados pelo carro do que o Linea, tem um espaço que eu acabei usando para guardar um chiclete e um espaço menor ainda no console central para guardar o celular, se você possui um smartphone, esqueça, deixe no colo ou no bolso.

São pequenos detalhes que tiram um pouco da vida a bordo do Linea, acabam fazendo com que ele fique com a fama de um Punto Sedan e isso provavelmente não é bom para a marca, mesmo porque ele possui outro nome, outra estratégia de marca e outra pegada no volante. Porque a motorização 1.4 e 1.8 (finados) do Punto nunca equipou o Linea que foi (1.9 – finado e 1.4 turbo).

É o famoso carro de tiozão, que só se preocupa em ter ar-condicionado, direção hidráulica (não é elétrica) e o que vier é lucro.

Tem algo que eu não entendi na Fiat, as versões de entrada e top de linha são equipadas com o mesmo motor E.torQ, porém a potência muda,  a versão LX tem  127 cv e 132 cv nas versões HLX e Absolute, – em 2012 a Essence uniu o LX e o HLX –  será que eu se eu levasse o LX na oficina eu poderia liberar a cavalaria represada?

Preços divulgados:

Linea Essence 1.8 16V Flex – R$ 56.700,00
Linea Essence 1.8 16V Flex Dualogic – R$ 59.700,00
Linea Absolute 1.8 16V Flex Dualogic – R$ 67.570,00
Linea T-Jet Turbo 1.4 16v – R$ 71.860,00

 

O tanque de combustível segundo a montadora é de 60l, sinceramente não sei onde está os outros 10, abasteci o carro próximo do reserva e marcou cravados 51l provavelmente uns 55l ou o medidor de combustível do painel não estava marcando corretamente.

Qual é a sua opinião sobre o carro?

Obrigado

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.