Película Anti Vandalismo


Boa tarde

 

A algum tempo eu venho escrevendo no blog sobre produtos e serviços automotivos. Quando optei pela película anti vandalismo eu mesmo pensei que ela nunca seria útil, a película é como um seguro de carro, bom quando você não precisa.

Quando você precisa dela certamente passou por alguma complicação.

No caso da película pude “apreciar” na prática a segurança que ela me trouxe e sim o retorno sobre o investimento foi efetivo.

Este post é um complemento deste tópico escrito em 2012.

E não foi uma tentativa de assalto, foi um motociclista atravessando um cruzamento em alta velocidade. Imagino se eu tivesse com algum passageiro no banco de trás do carro, local que normalmente ficam as cadeirinhas de criança.

Obrigado

Anúncios

Dicas de Compra – Citroen C4


Boa noite

Este ano não e me dediquei ainda na manutenção deste blog, pretendo inserir mais conteúdo no blog este ano, novos investimentos tanto em infraestrutura quanto em equipamento para facilitar a publicação de conteúdos foram realizados.

Vamos as dicas para a compra do C4, se você leu o meu relato pessoal dos 31 dias a bordo do Citroen C4 pode ser que tenha ficado com alguma dúvida de como comprar um C4, somente para recapitular um pouco sobre o modelo. O projeto do C4 surgiu na Europa em 2004, teve várias opções de mecânica sendo a mais famosa mundial a versão 1.6 Diesel.

31 dias com o C4

http://andrecerberus.com/2013/10/19/31-dias-com-o-c4/

 

Aqui no Brasil ele veio para brigar em um mercado pouco disputado (até então), com uma única opção de motor, sendo ela a 2.0, posteriormente com o crescente mercado de Hatchs Médios aquecidos pelo Ford Focus e o Hyundai I30 o modelo francês teve a versão 1.6 integrada ao catálogo de compra.

Com preços bastante atrativos o Hatch teve nos últimos 2 anos algumas versões comemorativas – Rock You (Upgrade no sistema de Som), Competition (Estético) e Solaris (com teto-solar).

Vamos aos detalhes interessantes de cada modelo, quando você pensar em um C4 lembre que agora ele possui versões 1.6 e 2.0, quando escolher cada uma delas:

1.6 – Viajo pouco e passo a maior parte do tempo na cidade.

2.0 – Passo mais tempo na estrada do que na cidade, preciso de potência para ultrapassar em situações bastante adversas (ladeira, carro cheio).

Lembre que 2.0 é forte, mas o consumo é proporcional a sua potência e o valor do seguro é relativamente mais alto do que a versão 1.6.

Ótimo, agora você já escolheu o seu motor, você quer um carro Manual ou Automático? Se for Automático você terá que escolher a versão 2.0 porque não existe a versão 1.6 AT.

Agora você tem algumas opções de escolha.

  • 1.6 MT
  • 2.0 MT
  • 2.0 AT

A versão 1.6 é a versão de entrada, possui um preço bom e possui todos os itens e acessórios da versão 2.0, a diferença está basicamente nas rodas, onde a versão 1.6 é calota, mas nada impede de você trocar o jogo de rodas no futuro. Ar e direção são de série, assim como Air Bag e ABS

Agora vamos as diferenças entre as versões GLX e Exclusive.

Acho mais fácil eu escrever o que o Exclusive tem a mais, assim você pode classificar se é frescura ou é importante.

  • Ar condicionado digital – frescura, vai gelar da mesma forma
  • Controle de estabilidade – muito foda, isso é segurança pura
  • Air Bags Laterais (+2) – muito foda, segurança nunca é demais
  • Retrovisor que rebate sozinho – frescura
  • Sensor de estacionamento – frescura, dá para instalar fora, a vantagem é que o original a informação aparece no display do computador de bordo
  • Farol que acompanha a curva – ótimo para quem viaja é dispensável mas poucos carros possuem isso
  • Banco de Couro – para quem gosta é um prato cheio, os bancos originais são ótimos, mas banco de couro é banco de couro.

Tirando isso tem um acabamento pouco melhorado, externamente é o mesmo carro, freio a disco nas 4 rodas, pisca dos retrovisores e só.

A diferença de preço é notável, mas os itens do Exclusive justificam o preço. Seria como comparar a versão LXR e o EXR do Honda Civic, por fora é o mesmo carro, motor e câmbio são iguais, mas o EXR tem muito mais itens.

Para quem quer um carro médio completo e bonito e não usa o carro somente na cidade e eventualmente pega uma praia ou viagem curta o GLX é o seu carro. Se você passa a maior parte do tempo no carro e viaja feito um ambulante da praça da Sé, considere comprar a versão Exclusive.

Alguns problemas do carro…. câmbio é Tiptronic (muito foda) mas possui somente 4 marchas, pode ser que em viagens longas o motor peça uma marcha que não exista.

A suspensão é macia e confortável, os pneus são aro 16 e possuem perfil alto o que deixa o carro ainda mais macio.

Espero ter ajudado na sua escolha, se for um carro zero o Exclusive está com preço muito bom (compare com outros carros concorrentes e verá que tecnicamente ele é melhor dentro da sua faixa de preço.

Usado o GLX é uma opção para quem pensa em Astra, Golf, Focus e Bravo, todos estes carros possuem a mesma faixa de preço.

Outro detalhe… o Design do C4 é ímpar, carro premiado, particularmente acho muito bonito, o painel digital e o design externo, fora o conforto interno fazem dele uma boa compra.

OBS: o VTR é aquela versão francesa de 2 portas. Ele equivale ao Exclusive, o único problema é que é difícil encontrar um em bom estado.

Manutenção Citroen C4 (1/2)


Boa noite,

Algumas pessoas esperavam por este post, eu mesmo estava esperando para escrever ele, principalmente porque o número de dúvidas referente a manutenção do C4 tem aumentado cada vez mais e espero que com este post sejam sanadas as principais delas.

Este é o primeiro post de 2 que irei escrever sobre a manutenção do C4, isso porque preciso resgatar algumas notas fiscais de serviço e peças que eu gastei ao longo deste (quase) 1 ano e meio que estou com carro.

Para quem não sabe, o carro C4 GLX 2.0 Mecânico foi adquirido com 30mil km rodados e hoje encontra-se com 65mil (sim eu viajo bastante). Nesta primeira parte irei descrever um pouco sobre o atendimento da rede autorizada Citroen (neste período conheci 4 concessionárias) e os problemas que aconteceram com o carro.

Na segunda parte entrarei em valores, para ser bem sincero eu mesmo não sei quanto eu já gastei com o carro. Eu não sou muita referência porque em 1 ano e meio estou caminhando para a quarta revisão. Normalmente as pessoas rodam de 10 a 15mil km eu rodo exatamente o dobro.

motorC4

Mas isso não é ruim, considerando que os carros que eu compro eu avalio considerando o uso máximo, não iria comprar um carro que tivesse um “passado obscuro” ou que a manutenção fosse absurdamente cara, lembrando que eu não sou rico e não sou nenhum blogueiro de sucesso, tanto que espero ansioso pelo convite de alguma montadora para avaliar qualquer carro que seja pelo tempo que precisar.

Vamos aos fatos, o carro foi comprado de maneira particular, pesquisei no Webmotors um C4 com baixa km e que o preço estivesse dentro do meu orçamento, havia desprendido para este carro o valor teto de 40mil, embora eu estivesse disposto a buscar algo na faixa de 35mil.

Eu nunca havia cogitado a idéia de ter um C4 ou até mesmo qualquer carro da marca Citroen, sempre tive a visão de carro caro, frágil ou coisas do tipo, até que descobri que um amigo meu só colocou Citroen em sua garagem desde 2007, sendo ele um feliz proprietário do C3 Exclusive e de um C4 Pallas.

Por muita sorte fiz uma viagem com ele em seu C3 Exclusive (motor 1.6) , achei o carro extremamente confortável e com mecânica confiável para ultrapassagens. O carro estava com 3 pessoas e o porta malas estava cheio e mesmo assim o carro andava muito bem na estrada, alguns trechos de pista ruim foram amortecidos de forma bastante confortável pela suspensão do hatch de entrada da marca.

Havia dirigido um C4 Pallas de outro amigo em outra ocasião, somente trecho urbano, mas foi o suficiente para me apaixonar pelo carro, a sensação de status e prazer ao dirigir que me dava ao acelerar o Pallas foi algo que eu só senti quando dirigi o Civic Ex 1.7 (quando ainda era lançamento da marca).

Fazia tempo que eu não acelerava em um carro original e o motor respondia a altura, considerei a compra de um C4 Hatch depois deste passeio, eu queria um Hatch Médio por 2 grandes motivos, eu tinha um Sedan pequeno e o espaço interno me incomodava um pouco, queria mais conforto e potência que o Classic 1.6 poderia me entregar.

E o segundo motivo era o tamanho físico dele, a garagem da minha casa não acomoda um Sedan Médio, na verdade até cabe… o Linea foi o carro que coube na medida certa, acima disso não cabe mais nenhum outro carro.

Pesquisei sobre o C4 e vi que o motor 2.0 seria ideal para a minha necessidade, queria um carro que pudesse rodar 1500km em um final de semana e que o motor fosse forte para eu nunca passar qualquer susto por falta de potência. E falando em potência o C4 dá um show a parte, possui o motor mais potente da categoria na faixa de até 40mil, de todos os modelos que eu havia pesquisado fiquei em dúvida em ter um Astra 2.0 Automático ou um C4 2.0 Hatch Manual, sei que não possui muita comparação mas o modelo do Astra era 2011 enquanto o C4 era 2010, o  C4 era mais velho e possuía o mesmo preço.

Considerei que o Astra havia saído de linha e não queria ficar com um carro descontinuado na minha garagem, queria algo novo e que me proporcionasse prazer ao dirigir, nunca dirigi um Astra, mas o Vectra (último que saiu) não me dava essa sensação.

Falando em manutenção as revisões da Citroen possuem preço tabelado, mesmo tendo o preço tabelado sempre optei pelas revisões “Premium” onde são revisados outros 50 itens, pode parecer besteira mas só quem viaja muito com o carro sabe que todo investimento com manutenção não é caro. A sensação de ter o carro quebrando com a namorada no banco do passageiro é algo que realmente estraga a noite e isso aconteceu umas 3 vezes comigo e com o C4 nenhuma vez.

Algumas pessoas podem achar um absurdo pagar o alto valor cobrado pela concessionária no processo de revisão, mas o que realmente esquecem é que a mão de obra que está trabalhando no seu carro é especializada e ela possui um valor pelo qual eu não pretendo questionar. Quem trabalha com informática cobra o preço de acordo com a qualidade, assim como quem é cirurgião. Paga-se o preço, mas quanto custo o treinamento destes profissionais? Uma cirurgia a lazer para correção do grau ocular custa no mínimo uns 5mil reais para o convênio e o processo leva 15min.

Eu considero importante o processo de revisão na concessionária porque você possui uma garantia dos itens revisados (padrão 8 meses) e qualquer problema que venha ocorrer no veículo você estará “parcialmente” coberto pela garantia. Quem acha caro pode apelar para um mecânico especialista, mas confesso que na Citroen ainda não passei pelo processo “empurra-empurra” de peças e serviços durante a revisão.

Acho que o processo de fidelização da marca muito mais forte do que o de venda, tanto que o atendimento costuma ser bem feito de forma que você retorne para futuras revisões e convenhamos um carro com 30, 40 até 60mil km não tem que trocar absolutamente nada.

Veja no Site da montadora o preço das revisões

http://www.citroen.com.br/pos_venda/preco_fixo

Poucas montadoras possuem o valor tabelado, o consultor de serviços irá passar para você as diferenças entre a revisão da fábrica e a revisão que eles classificam como Premium. Realmente a quantidade de itens cobertos na revisão da montadora são poucos (mas o suficiente) para manter o carro sempre rodando sem dores de cabeça.

Na próxima semana irei detalhar um pouco mais este post com os valores e onde foram realizados os serviços do C4.

 

Obrigado

Limitador de Velocidade e Piloto Automático – C4


Boa tarde,

Vou tentar explicar detalhadamente como funciona estes 2 recursos presentes na versão mecânica do C4 (Hatch ou Pallas).

Ambos os recursos: Limitador de Velocidade e Piloto Automático são mais conhecidos em carros automáticos, são raros os carros manuais que possuem estes recursos, vamos aos detalhes.

 

Limitador de Velocidade:

Quando configurado o carro não ultrapassa a velocidade definida.

Eu gosto deste recurso porque evita com que o motorista fique com sono e diminui as chances de tomar uma multa. Você poderá ficar com o pé “embaixo” e o carro não irá ultrapassar o limite.

Existem alguns riscos, tais como uma ultrapassagem (principalmente carreta) o ideal é desligar o recurso na ultrapassagem, quando se está a 120km/h e precisa ultrapassar uma carreta, pelo menos um pico de 140km/h você precisa atingir. Já teve alguns casos que eu tive que chegar a 150 km/h porque o motorista acelerou junto comigo na descida (#daputa_style).

 

Piloto Automático

Este é excelente para quem teve uma câimbra, o carro acelera sozinho na subida e na descida ele controla a velocidade, as vezes ele ultrapassa 2, 3 km/h mas é extremamente normal, é preciso estar bem acostumado para usufruir deste recurso, porque são poucas as pessoas que conseguem manter a mesma velocidade por uma viagem longa. Normalmente nos últimos quilômetros da viagem o motorista está fadigado e para ele os 120km/h parece ser bem mais do que está registrado no painel.

Diferente de carros de luxo o sensor dianteiro disponível nas versões Exclusive não identifica se o carro está prestes a bater em algo (somente na primeira marcha).

VolanteC4

 

Para utilizar é simples, ao lado esquerdo do volante existe um botão giratório com as informações LIM — 0 — REG

Ao lado os botões de controle SET+ e SET-

O LIM é o limitador de Velocidade e o REG é o Piloto Automático, basta selecionar a função e configurar a velocidade limite ou automática.

No painel aparecerá a informação “off” por default as opções ficam desligadas até que você configure corretamente.

Para acionar o recurso basta pressionar o botão PAUSE (acima do botão giratório).

 

 

Obrigado

 

31 Dias com o C4


Boa noite,

 

Algumas pessoas tem visitado cada vez mais o blog procurando conteúdo sobre o C4.

Eu criei a alguns meses atrás uma série de comentários sobre o C4 no teste dos 31 dias que eu fiz logo quando peguei o carro.

Na ocasião ele estava com 30mil km e hoje está com 60mil km (rodei aproximadamente 30mil km em 1 ano).

Todas as publicações eu marquei com a tag 31 dias.

Mas de qualquer forma o link abaixo contém todas as publicações que eu fiz naquela ocasião.

http://andrecerberus.com/tag/31dias/

Retrovisor_c4

Carros 2.0


Boa noite

 

Normalmente quando falamos de algo 2.0 no mundo de TI estamos referenciando sobre novas tecnologias, no mundo automotivo sempre soa o 2.0 como motorização (e de fato é) mas eu gostaria de abordar este assunto de outra forma.

No Salão do Automóvel (em 2012) algumas montadoras renovaram o seu line-up com carros equipados com motores 2.0 e facilidades tecnológicas que fazem qualquer carro de 2011 sofrer um pouco de “dor de cotovelo”.  Hoje quando buscamos carros da categoria Sedan Médio, sempre lembramos do Cruze, Civic, Corolla, Linea, Focus, etc etc etc

o-painel-do-jetta-grafite-recebeu-mais-modificacoes-manopla-de-cambio-pedaleiras-volante-borboletas-e-bancos-foram-trocados-1343425570808_956x500

Existe uma série de carros disponíveis no mercado, cada um com as suas respectivos apelos para atender um público alvo determinado, estarei direcionando um pouco a sua leitura para carros equipados com motores 2.0, que hoje estão voltando cada vez mais no mercado de novos.

Nos anos 90 e 2000 era comum ter um carro equipado com motor 2.0 (Logus, Vectra, Kadett, Focus (antigo), Santana, Versailles, Monza, etc) Alguns até arriscaram um downsizing de motor como o Omega que foi vendido nas motorizações 3.0, 4.1 e por último a versão 2.0

logus_motor-2

Ter um carro 2.o era sinônimo de muita potência, principalmente porque os carros 1.0 na época eram extremamente lentos…. o Gol 1000 famoso pé-de-boi tinha humildes 50cv de potência, hoje em dia um Celta 1.0 possui 78cv (+64% de potência), por isso qualquer carro que chegasse perto de 100cv era considerado um verdadeiro “canhão”.

O Logus 2.0 tinha 121cv, hoje em dia um C4 2.0 possui 151cv, temos carros 2.0 com uma boa diferença não só de potência, mas torque e consumo também melhoraram, a adoção da injeção eletrônica nos anos 2000 facilitou este crescimento exponencial.

Não sei ao certo mas senti no mercado uma queda na produção de carros 2.0, principalmente a partir de 2005, somente os carros da Chevrolet se mantiveram com a motorização 2.0, isso se deve a tecnologia um tanto ultrapassada utilizada na produção de seus motores, muitos chamam (até hoje) de Monzatech porque a diferença de um motor do Monza 2.0 para um Vectra/Astra é pequena.

593_compdamas_11

Com a saída do Vectra (2.0) no mercado, a Chevrolet trouxe o Cruze (1.8) estávamos acreditando que o mercado estaria tendenciando para carros com motores cada vez menores e mais potentes, o mercado Europeu é assim, carros equipados com Turbo ou Supercharger de fábrica estão cada vez mais comuns, existe uma redução no consumo de energia e no imposto aplicado na produção/venda do carro.

Hoje o imposto é pago de acordo com a motorização, quando um carro chega a 2.0 o imposto é mais elevado e carros de menor potência são mais incentivados, veja os descontos do IPI promovidos pelo Governo Federal.

Algumas montadoras acabaram aumentando a potência de seus modelos a fim de re-conquistar um público órfão de carros equipados com este motor (o 2.0). A Toyota tinha apenas o motor 1.8 em linha, porém a sua versão Topo de Linha é equipada com um novo motor 2.0, embora as vendas sejam menos expressivas, até mesmo porque o público era para pessoas que exigiam um carro mais completo (alguns até usam para blindar).

toyota-corolla-20-xei-16v-flex-4p-aut-2013-blindado-0km_MLB-O-3460324594_112012

Junto com o New Civic a Honda havia lançado o New Civic SI a versão vinha com um motor 2.0 aspirado de 192cv de potência, o motor era um bem diferente do motor da CR-V e do Accord 2.o, o do Civic era um bem melhor, deixou saudades, embora suas vendas não tenham sido conforme necessidade do mercado, provavelmente pelo alto custo do modelo (custava cerca de 100mil Dilmas), o carro não emplacou quanto o Jetta TSI (2.0 turbo alimentado).

Pensando em um mercado cada vez mais competitivo e visando renovação em seus modelos, a Honda anunciou no final de 2012 que em 2013 teríamos o Civic 2.0, o carro possui 10cv a mais de potência e a ficha técnica do modelo pode ser  vista no site oficial da montadora (clique aqui) não só isso mudou no carro, o tanque para abastecer o carro a frio também deixou de existir.

honda-civic-20-foi-revelado-no-salao-do-automovel-de-sao-paulo-em-outubro-1355329477155_956x500

Na opinião de vocês quais carros 2.0 que temos hoje no mercado leva mais vantagem?

Corolla, Civic, Jetta ou C4?

A verdade é que o Civic x Corolla sempre é mais divertido, a verdadeira batalha de samurais…

traseiras-civic-x-corolla

Obrigado

Bateria Automotiva


Boa tarde

Essa semana eu fui vítima da pane elétrica na bateria, para a minha sorte o carro não estava na estrada, já havia chegado em meu destino, o que eu achei mais interessante é que a bateria simplesmente parou de funcionar sem qualquer motivo ou “dica” que estava chegando ao fim de sua vida útil.

2012-12-26 17.26.46

Para você meu caro amigo, vou deixar aqui algumas dicas de como prevenir uma pane seca por bateria, porque sem ela, o carro praticamente não irá para lugar nenhum e se optar por métodos pouco convencionais – leia-se “tranco” – poderá danificar um ou outro componente eletrônico do carro.

Na grande maioria dos carros o tranco é um processo pouco funcional, já que para a partida inicial irá exigir uma demanda de energia maior do que o tranco inicial poderá fornecer, ainda mais agora com carros cada vez mais eletrônicos e menos mecânicos.

Se fosse um carro carburado que possui somente o rádio e o kit de iluminação não seria problema, mas atualmente os carros são praticamente movidos a energia elétrica (rádio, farol, injeção eletrônica, direção elétrica, sistemas de diagnósticos, etc).

Existe uma forma bem simples de evitar este tipo de situação, uma delas é a inspeção visual, se a bateria estiver “estufada” ou apresentar pontos de vazamento (normalmente uma borra branca ao redor da bateria), significa que ela está no fim de sua vida útil e que deverá ser trocada.

A bateria em média possui uma vida útil de 2 a 3 anos (no máximo) e não existe um procedimento confiável para indicar quando ela está para acabar, a outra forma além da inspeção visual é verificar se o carro apresenta alguma falha ou dificuldade logo na partida, neste caso não são todos os carros que “alertam” sobre o vencimento da bateria, mas confie sempre na inspeção visual e no prazo da bateria.

20121229_155415

Algumas baterias pode ter o fim de sua vida útil em apenas 1 ano, isso se deve as condições de uso do carro, a bateria sofre bastante com a temperatura pela qual ela é submetida, isso significa se você mantém a bateria sempre a 100º de temperatura ela não terá a mesma vida útil de uma bateria que está sempre em condições de temperatura ambiente.

Algumas baterias exigem manutenção, a manutenção é basicamente abrir a bateria e completar com água desmineralizada (famosa água de bateria – que é corrosiva) porém a grande maioria é 100% selada, o material que está dentro da bateria não vaza – salvo do contrário de um problema – e você não precisa se preocupar.

Lembre-se que para a troca de bateria tente optar sempre pelo produto recomendado pela montadora, isso serve como dica de preservação do carro, eu senti essa necessidade de trocar pela bateria original Citroen pelo fato do carro ser repleto de tecnologia e no caso de um problema eletrônico a montadora poderá alegar que foi curto causado pela bateria, com  a bateria estando de acordo com as especificações originais do fabricante você reduz um pouco desta dor de cabeça.

20121229_155408

É claro que existem baterias de excelente qualidade no mercado, pensei em instalar uma ACDelco ou uma Moura, a original é uma Willard de 65ah, achei pequena pelo porte do carro, poderia ser uma de 90ah, mas prefiro não questionar, já que para cada carro existe uma engenharia empregada pela qual eu prefiro não questionar.

O procedimento de troca/carga/chupeta do C4 é tenso… tudo muito escondido é preciso tirar a caixa do filtro de ar para remover a tampa que cobre a bateria, mas essa organização toda no motor é favorável, porque protege partes importantes do motor, como a própria bateria, filtro de ar e o motor em si, o resultado da teimosia em não verificar a bateria está na foto abaixo…

2012-12-21 07.28.26

Um detalhe importante é que hoje em dia quando se troca a bateria do carro (dependendo do carro) é necessário reprogramar toda a central do mesmo, um destes carros é o C4, o serviço foi feito na concessionária Lumière de Presidente Prudente e com a compra da bateria o serviço acabou sendo realizado sem um custo absurdo de mão de obra.

Obrigado